GABINETES DE APOIO À AÇÃO SOCIAL

         

       CAAPS - Centro de Atendimento e Acompanhamento Psico-Social – Projeto Integrado Especializado Comunitário

EMAT - Equipa Multidisciplinar de Apoio aos Tribunais

TUTELARES CIVEÍS

NLI/RSI  - Núcleo do Rendimento Social de Inserção – Núcleo Local de Inserção da Horta

Apoio à COMISSÃO DE PROTEÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS

 

 

Atividades no Âmbito da Ação e Desenvolvimento Social - Estas atividades são as que se referem, sobretudo, às valências que desenvolvem a sua ação numa relação estreita e de apoio às mais diversas áreas de ação social. Referimo-nos ao trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelos gabinetes que foram enquadrados pela Instituição, nomeadamente, a Equipa Multidisciplinar de Assessoria aos Tribunais, o Gabinete do Rendimento Social de Inserção e de Ação Social, o Gabinete de apoio à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens e, por último, o Gabinete de Apoio e Acompanhamento Psicossocial.

 

 

Equipa Multidisciplinar de Assessoria aos Tribunais:

 

1.    Responder às solicitações dos Tribunais através da elaboração de relatórios sociais sobre a situação pessoal, familiar, profissional, económica e financeira das crianças e jovens e dos seus agregados familiares ou pessoas a quem estejam confiados, no âmbito dos processos de promoção e proteção de crianças e jovens e matérias tutelares cíveis;

2.    Prestar apoio a crianças e jovens no âmbito dos processos de promoção e proteção e proceder ao acompanhamento da execução das medidas de promoção e proteção de crianças e jovens, através de visitas domiciliárias, entrevistas individuais e conjuntas com as famílias e com as crianças e jovens, articulação intra e extra-institucional;

 

3.    Prestar apoio técnico na intervenção em audiências judiciais e na participação em diligências instrutórias por determinação do Tribunal;

4.    Participação dos elementos da EMAT em formações que abranjam as temáticas da adolescência, das famílias e competências parentais, divórcio, entre outras.

 

Gabinete do Rendimento Social de Inserção e de Ação Social:

 

As Técnicas Superiores de Serviço Social que integram o protocolo de RSI no Lar das Criancinhas da Horta, exercem funções no âmbito do Rendimento Social de Inserção e de Ação Social.

 

A área geográfica de atuação da técnica Tânia Goulart abrange as freguesias de Pedro Miguel e dos Flamengos. A técnica Vânia Ladeira desempenha funções nas freguesias da Conceição e da Feteira. A Ajudante Sócio familiar Ana Glória coadjuva as técnicas.

 

De um modo geral, as atividades regularmente realizadas e a realizar prendem-se com o acompanhamento psicossocial de pessoas e famílias com vista à sua progressiva inserção laboral, social e comunitária, numa perspetiva de “empowerment”.

 

Assim sendo, as principais atividades a realizar são:

 

1.    Pesquisa bibliográfica e documental das problemáticas que surgem;

2.    Participar em ações de formação de temáticas diversas;

3.    Elaboração de diagnósticos, informações e relatórios sociais;

4.    Acompanhamento das famílias (visitas domiciliárias, atendimentos, entrevistas, contactos formais, contatos informais);

5.    Encaminhamento dos utentes para outros serviços/instituições;

6.    Informar e esclarecer acerca de direitos e deveres cívicos;

7.    Negociação dos planos de inserção e de ações promotoras da inserção social e laboral;

8.    Responsabilização dos beneficiários;

9.    Reuniões e contatos telefónicos com os parceiros de outras áreas;

10. Articulação com a Agência para a Qualificação e Emprego da Horta e com Instituições que possam assegurar ocupação aos beneficiários através do PROSA;

11. Avaliação do cumprimento das Ações dos Planos de Inserção e das Contratualizações de Ação Social;

12. Colaborar com os parceiros da Habitação na seleção de utentes para integração em programas de realojamento/habitação social;

13. Responder às solicitações de outras entidades, nomeadamente à elaboração de listas de beneficiários para entrega brinquedos na época de Natal a pedido da JS;

14. Elaborar as listas de beneficiários do Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados;

15. Colaborar com o polo recetor e distribuidor do Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados (Caritas da Ilha do Faial);

16. O Protocolo de RSI pretende dinamizar no ano de 2015 atividades de carácter familiar e comunitário, estabelecendo parcerias com as Instituições e serviços existentes na ilha, numa ótica de rentabilização de recursos, no sentido de criar respostas sociais alternativas e potenciadoras de mudanças positivas nas famílias e na comunidade;

17. Proporcionar às famílias e à comunidade ações de sensibilização sobre problemáticas, quer sejam da área da educação, da saúde, do emprego, da justiça e outras que se revelem pertinentes, objetivando a consolidação de competências pessoais e sociais.

 
Enviar por E-mail Versão para impressão PDF